• Home
  • Blog
  • Conheça os 2 principais tipos de lapidação de pedras
Conheça os 3 principais tipos de lapidação de pedras

Conheça os 2 principais tipos de lapidação de pedras

Existem vários tipos de lapidação de pedras preciosas — processo que tem como objetivo transformar uma pedra bruta em uma linda e valiosa gema. Cada forma de talhar uma pedra vai resultar em uma joia com um aspecto estético diferenciado de brilho, cor e transparência, o que pode torná-la muito especial.

O valor de uma joia também é definido pela lapidação, devido ao grau de dificuldade e à experiência dos lapidadores, que são os profissionais responsáveis pela transformação da pedra, ofício que existe desde a Antiguidade.

Inicialmente, podemos dizer que existem dois tipos de lapidação: os facetados e os cabochons. Dentro desses dois grandes grupos, há outras infinidades de técnicas para tornar a gema uma peça única e ainda mais valiosa. Elas costumam ser empregadas de acordo com as características das pedras e das joias em que se pretende incrustá-las.

Para que você entenda de maneira mais fácil e prática o sistema de lapidação de pedras, preparamos este artigo, que tem como objetivo apresentar os dois principais tipos de lapidação e algumas variações dentro deles. Além disso, você vai encontrar um passo a passo sobre como fazer esse trabalho. Então, acompanhe a leitura e saiba mais!

1. Facetados

As pedras que recebem uma lapidação facetada são sempre muito brilhantes e angulares, chegando a mais de 58 facetas — o que aumenta a reflexão da luz em seu interior, criando uma joia muito brilhante. Os diamantes são as pedras mais comumente lapidadas com essa técnica.

1. Diamante

É a lapidação facetada mais comum e, de certa forma, mais simples. Datada do século XVII, essa técnica deu brilho às pedras preciosas por meio das numerosas facetas trabalhadas em uma gema, aumentando a reflexão da luz no interior da pedra e tornando-a, literalmente, o tão cobiçado brilhante!

O diamante é o material mais duro que existe na natureza e, por isso, lapidá-lo não é uma tarefa fácil. O risco de haver falhas no processo é grande, e essa é uma das razões que tornam a gema tão valiosa.

Existem duas maneiras de cortar o diamante bruto:

  1. clivagem: o método é o mais comum, no qual a pedra é partida com um rápido golpe. No entanto, muitas vezes, essa técnica não produz o efeito desejado, o que exige o outro processo;
  2. serragem: é mais demorada e tediosa, feita com serra elétrica rotatória e, mais recentemente, com o auxílio do laser.

A etapa seguinte é chamada de bloqueamento, na qual o diamante é raspado em outro diamante até que atinja o formato desejado. As facetas são produzidas na fase de abrilhantamento.

Então, a pedra é encaixada delicadamente na ponta de uma vareta (dop) e pressionada contra um disco cilíndrico e giratório forrado de pó de diamante. O procedimento se assemelha a uma agulha “riscando” um disco de vinil na vitrola.

Geralmente, os diamantes pequenos são lapidados no prazo de 24 horas. No entanto, se a pedra for maior (acima de 20 gramas), o processo pode durar até 12 meses.

Os talhes mais tradicionais dos diamantes são:

  • oval: conta com 57 facetas e tem um formato, como o nome sugere, oval;
  • navette: tem um formato de elipse, geralmente também com 57 facetas;
  • gota: com uma extremidade redonda e outra pontiaguda, em formato de gota, esse talhe conta com até 57 facetas;
  • coração: em formato de coração, geralmente com 65 facetas;

2. Degrau

Diferentemente dos brilhantes, a lapidação em degraus tem suas facetas em formato trapezoidal e dispostas paralelamente à rondista da pedra, dando à peça o aspecto de vários degraus sucessivos.

Os formatos desse tipo de lapidação de pedras podem ser classificados de 5 maneiras diferentes. Acompanhe a seguir:

  • quadrado: o formato é o mais comum, com 4 pontas afiladas, também chamado de carré;
  • baguete: é mais alongado e retangular, também com 4 pontas afiladas;
  • trapézio: lembra um trapézio, com 4 pontas afiladas;
  • esmeralda: talhe quadrado, com 4 pontas truncadas, que conferem à peça um aspecto octogonal;
  • triângulo: lapidação com 3 pontas, podendo ser afiladas ou truncadas.

3. Mista

É quando uma mesma pedra recebe ambos os tratamentos, talhe brilhante e em degrau. Nesses casos, a coroa é talhada como um brilhante e o pavilhão é em degraus ou vice e versa.

  • Ceilão: a coroa é talhada como brilhante, a rondista com forma oval-quadrada ou oval-retangular e o pavilhão é talhado em degraus;
  • barion: a coroa é talhada em degraus, a rondista é quadrada e o pavilhão talhado como brilhante com facetas em meia-lua próximas à rondista.

O ceilão é mais comumente feito em pedras de rubi e safira do Sri Lanka, antigo Ceilão, o que originou o nome do formato.

2. Cabochons

Difere da lapidação facetada, pois esse tipo de talhe, também chamado de lapidação lisa, não preza pelas facetas que facilitam a reflexão da luz no interior da pedra. O que é trabalhado nos cabochons, que podem ser opacos e translúcidos, é a total regularidade de suas superfícies, sendo uma delas levemente convexa e a outra arredondada, originando uma forma perfeitamente acabada e sem pontas.

Algumas das pedras mais comumente lapidadas com essa técnica são a jaspe, ágata, olho de tigre, olho de falcão, calcedônia, quartzo azul, quartzo verde e várias outras.

Todos os tipos de joias, sendo elas brincos, colares ou anéis, podem receber pedras lapidadas em cada uma dessas técnicas. Algumas peças recebem, inclusive, gemas lapidadas em diferentes técnicas, algumas em uma mesma pedra — chamadas de lapidação mista. Tudo depende da criatividade do designer de joias.

O passo a passo da lapidação de pedras

Conheça, a seguir, o passo a passo de um dos processos utilizados na lapidação de uma pedra preciosa:

  1. escolha uma pedra bruta que não tenha cortes. O tipo de pedra escolhida é que vai determinar de que maneira ela será lapidada, de acordo com sua forma, clareza e altura;
  2. em seguida, pesquise sobre o corte e ângulos recomendados para lapidar a pedra selecionada. Você encontrará várias fontes de informação que abordam o assunto;
  3. então, utilize uma máquina de lapidação para moer as partes desnecessárias da pedra. Muitas pedras têm formas estranhas e, por isso, vão exigir um processo de moagem maior;
  4. é necessário aquecer uma pequena quantidade de cera até que ela se torne maleável e, na sequência, fixar a cera na ponta de uma vara. A base da pedra deve ficar presa na cera. Então, moa a pedra na forma desejada;
  5. para finalizar, faça um polimento na pedra acabada, a fim de remover a poeira originada no processo de lapidação.

Embora, o processo de lapidação de pedras não seja algo impossível de ser feito, é recomendado que todas as etapas sejam executadas por bons profissionais, que, certamente, vão utilizar instrumentos e equipamentos apropriados para realizar o procedimento. Portanto, não hesite em procurar pelas empresas e pessoas capacitadas para lapidar as suas pedras preciosas!

Se você gostou do artigo sobre lapidação de pedras preciosas, curta a página da Bautz no Facebook para ter acesso a mais conteúdos como este!

  • Catalogo
    e-book GRÁTIS
    Por que confiar a Bautz a produção das suas Jóias?